Férias e meditação para recuperar o corpo e a mente

Um estudo da Universidade de Harvard revela como o ir de férias, especialmente quando se aproveita esse tempo de relaxamento para praticar meditação, revigora o corpo e a mente a nível genético.
Por Crystal Goh | Calef Brown (ilustração)
in Mindful.org | 7 de setembro de 2016  ver texto original
Se ir verdadeiramente de férias é ter o dia todo sem ter nada para fazer, então não devem ser muitos os que podem dizer ter ido de férias recentemente. Porém, segundo uma recente investigação da Universidade de Harvard, ir de férias, juntando uma pitada de meditação, é uma receita capaz de nos dar um novo vigor e prolongar o nosso tempo de vida.
Férias e meditação mudam a forma de funcionamento do corpo
Investigadores da Faculdade de Medicina de Harvard, da Universidade da Califórnia, São Francisco e da Icahn Faculdade de Medicina Mount Sinai quiseram comparar os efeitos a nível biológico entre umas férias tradicionais e um retiro de meditação. O estudo foi conduzido sobre os efeitos a curto e a longo prazo resultantes de seis dias de férias num resort (efeito férias) e um retiro de seis dias com meditação, yoga e práticas introspectivas (efeito meditação).
Noventa e quatro mulheres, todas elas saudáveis, com idades compreendidas entre 30 e 60 anos, foram colocadas num resort durante uma semana e divididas em três grupos: um, sem hábitos de meditação, com a única finalidade de passar férias num resort turístico; um segundo que, embora sem experiência, pretendia experimentar a meditação; e finalmente um último formado por praticantes de meditação (pessoas que meditaram, pelo menos, quatro vezes por semana, durante um mínimo de 15 minutos, ao longo dos últimos seis meses). Os dois últimos grupos praticaram durante esses seis dias um total de 12 horas de meditação, 9 horas de yoga e estiveram presentes a várias palestras. O objetivo foi desenvolver a paz interior e alargar a autoconsciência ao corpo, à respiração e ao ‘eu’.
Ao longo desse período, os investigadores monitoraram 20 mil genes como forma de perceberem os efeitos biológicos associados ao “efeito férias” em comparação com o “efeito meditação”.
O Efeito Férias
Todos os valores foram medidos antes e imediatamente após o término da semana de resort, e depois novamente avaliados um e dez meses mais tarde. Os resultados mostraram que, independentemente do grupo a que pertenciam, todas as mulheres apresentavam menos stress, melhor humor e mais atenção e vitalidade após uma semana longe da rotina diária. O “efeito férias” mostrou-se forte, imediato e com uma duração de até um mês. Todas as participantes apresentaram ainda mudanças ao nível da actividade dos genes relacionada com a diminuição da resposta ao stress e melhor funcionamento do sistema imunológica.
O facto é que quando tiramos algum tempo para relaxar, os genes normalmente necessários para lidar com stress, lesões e cicatrização de feridas aparecem temporariamente diminuídos. Estes genes relacionados com o stress, como os MME e FOXO3, são conhecidos pelo seu efeito antidepressivo quando o seu nível decresce, o que pode ser conseguido a partir de uma semana de descanso.
O Efeito Meditação
Quando, dez meses mais tarde, a equipa de investigadores voltou a monitorar estas mulheres, os resultados que encontraram mostraram-se particularmente interessantes. O grupo que participou pela primeira vez em meditação, yoga e práticas introspectivas durante o retiro apresentou, mesmo passados dez meses, os melhores índices de benefício em relação à diminuição de stress e de sintomas depressivos.
O facto é que, imediatamente após o retiro, este grupo apresentou o maior aumento num marcador sanguíneo (rácio plasma Aβ42:Aβ40) indicador de diminuição de risco de doença de Alzheimer, demência e depressão grave. Na realidade, mesmo após apenas uma semana de retiro de meditação, estas novas praticantes apresentaram aumentos nestes marcadores de sangue acima dos verificados no outro grupo de meditadoras com prática  regular.
Porque razão o “efeito meditação” parece ser menos duradouro no praticante mais experiente em relação ao novato, tanto do ponto de vista psicológico quanto biológico? Tal deve-se apenas à razão do primeiro já possuir, à partida, biomarcadores com níveis mais elevados em relação a envelhecimento saudável e resposta imunológica.
O estudo realça, por exemplo, que devido à prática regular da meditação, essas mulheres apresentam, à partida, níveis saudáveis de plasma com rácios de Aβ42:Aβ40 e telómeros mais compridos, um componente genético indicador de envelhecimento saudável. Na verdade, vários estudos têm vindo a indicar que o programa de redução de stress baseado em mindfulness (MBSR, sigla em inglês) e/ou a prática regular de meditação pode atrasar o envelhecimento das células e que o exercício regular de práticas mente-corpo pode alterar a expressão génica no sentido de reduzir processos inflamatórios físicos. Uma vez que os telómeros mais curtos aparecem associados a inícios precoces de doenças crónicas de envelhecimento, como as doenças cardiovasculares, alguns tipos de cancro e a diabetes, a prática regular da meditação pode levar a um alívio do nosso sistema imunológico, à diminuição de alguns riscos de saúde e a um envelhecimento mais saudável.
Benefícios para a saúde quantificáveis a longo-prazo
Qual é então a mensagem a retirar de tudo isto? No geral, há boas notícias para todos, embora algumas durem mais tempo do que outras. Uma semana de férias num local aprazível vai certamente melhorar tanto o seu humor quanto o seu sistema imunológico. Se a meditação é algo de novo para si, tirar uma folga de uma semana para fazer um retiro de meditação em vez de umas simples férias de lazer, talvez com um pouco de yoga e uns tempos de introspecção, vai-lhe afinar o corpo e a mente durante uns dez meses. Se já é praticante, o seu corpo já é fisicamente mais saudável em termos de marcadores de envelhecimento, sistema imunológico e reguladores de stress e o ir a um retiro vai ajudar a reforçar tudo isso.
Portanto, o “efeito férias” traz boas notícias de curto prazo para todos, sendo que o “efeito meditação” traz boas notícias mais duradouras, principalmente se for praticado. O verão ainda vem longe… trate de começar já a fazer planos para não fazer nada!
Tradução de Raul C. Gonçalves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s