A inspiração artística é contagiosa?

Um novo estudo tenta medir o impacto da leitura na criatividade e na motivação para escrever
Por Scott Barry Kaufman
in Scientific American | 29 de junho de 2016  ver artigo original
“O facto principal, final e incontornável é que as palavras de grande inspiração criam vida em nós porque elas próprias estão vivas”, escreveu o académico britânico Cecil Maurice Bowra, em 1955.
Teria ele razão? É a inspiração algo de contagioso? Inspiradoras obras de arte inspiram audiências a criarem trabalhos próprios? Existe uma longa tradição na história da humanidade que sugere que sim. Platão argumentou, uma vez, que a inspiração é transmitida à audiência pela Musa. Porém, curiosamente, só agora isso foi testado cientificamente.
Num estudo recente, Todd Thrash e equipa, pertencentes aos departamentos de psicologia do College of William and Mary e das universidades de Berkeley, Northeastern e Minnesota, levaram a cabo o primeiro teste alguma vez realizado sobre “inspiração por contágio”, usando a poesia para o efeito. Os investigadores detiveram-se nas qualidades específicas de um determinado texto e nas qualidades do leitor. Trata-se de um estudo bastante rico, com 36.020 intersecções, entre todas as variáveis! Eis, de seguida, o que de mais essencial foi apurado:
Quanto mais escritores dizem ter-se sentido inspirados enquanto escreviam, maior é número de leitores médios que se dizem ter sentido inspirados pelo que leram. E isto apesar do facto não ter havido qualquer contacto entre o leitor e o escritor, para além do texto em si! Tal como realçaram os investigadores “esta descoberta atesta o poder da palavra escrita enquanto veículo para a partilha dos pontos mais altos da experiência humana entre indivíduos separados entre si pelo tempo e pelo geografia.”
Quanto mais inspirados estiveram os escritores, mais um grupo independente classificou os poemas de profundos, agradáveis, originais e sublimes. No entanto, apenas aqueles considerados profundos e agradáveis tiveram um impacto positivo na inspiração do leitor médio. Na verdade, a originalidade teve mesmo um efeito negativo nesses leitores. Não está clara a razão para esse efeito negativo na transmissão de inspiração; uma possibilidade é que a originalidade produza desconforto no leitor médio, levando-o a ficar consciente sobre a separação entre escritor e leitor.
Os leitores mais abertos a novas experiências foram mais tolerantes ao novo e ao sublime. Quanto mais abertos, mais eles experienciaram a transmissão de inspiração; já quanto menos original e sublime era o texto mais difícil foi essa transmissão.
A inspiração do leitor não foi o único resultado da inspiração do escritor; também levaram a sentimentos de reverência e emoção do leitor médio. Estas sensações de encantamento foram transmitidas principalmente através da profundidade e sublimidade do texto. O que é interessante aqui é que tanto a ‘profundidade’ como a ‘sublimidade’ dificilmente correspondem a uma noção de verdade e beleza. Tal como realçaram os cientistas, “estas descobertas mostram um forte elo entre a resposta física do leitor e a motivação profunda do escritor, sugerindo como que uma ressonância orientada por uma percepção partilhada sobre o que é verdadeiro e sublime sobre a experiência humana.”
Enquanto que os poemas escritos por poetas que colocaram neles mais esforço foram também mais inspiradores para o leitor, esse esforço não antecipou qualquer outra emoção no leitor.
Estas descobertas sobre inspiração por contágio têm grandes implicações. Em primeiro lugar, para os aspirantes a escritores. Muitos consideram a perspectiva de escrever como algo assustador, principalmente porque está assumido que uma boa escrita requer trabalho árduo e absoluta originalidade. Visto desta forma, de facto, a escrita parece uma coisa assustadora!
No entanto, este estudo sugere que a boa escrita é mais como falar, é uma expressão de um estado interior de ser. Talvez a melhor forma de inspirar os escritores é estes olharem para a escrita como um veículo para capturar e expressar insights pessoais. Estas percepções podem ser de grande valor e inspiração para o leitor, dependendo da percepção de como elas são entendidas como originais ou fruto de um grande esforço. Tal como disse Tolstoi:
“As pessoas são ensinadas a escrever muitas páginas, sem terem nada que desejem dizer, sobre um tema sobre o qual nunca pensaram… Isto é ensinado nas escolas.”
Gosto particularmente da metáfora usada pelos investigadores do si-mesmo autor: “O autor confronta uma página em branco, sem estar certo do que dizer, e o si-mesmo debate-se com um futuro por escrever (…) Ambos encontram a voz quando inspirados e, finalmente, o si-mesmo autor fala com autoridade e autenticidade.”
A escrita com inspiração fala a partir de uma verdade profunda da pessoa que a escreve, a qual é, frequentemente, uma verdade na qual muitos encontram eco. Enquanto escritores, há que não olhar para a escrita como uma atividade separada de tudo o resto, mas antes como uma expressão do mais profundo si-mesmo e de suas experiências existenciais.
Existem, igualmente, implicações de inspiração por contágio em relação à espiritualidade e seus textos sagrados, à transmissão académica e à comunicação interpessoal. Somos frequentemente inspirados por pessoas que dizem coisas que nós sempre quisemos dizer, mas que nunca conseguimos porque nos faltava a linguagem para as expressar. A inspiração por contágio pode igualmente desempenhar um papel tanto na origem como na evolução da cultura.
Naturalmente, que o artista não pode ser separado da arte. Esperemos, pois, ver em breve mais investigação sobre este assunto.
Tradução de Raul C. Gonçalves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s