China quer desalojar cinco mil monges no Tibete

A China alega que o icónico mosteiro de Larung Gar precisa de “liderança ideológica”. Cinco mil monges e monjas enfrentam ordem de expulsão. Uma petição para impedir a sua destruição pode ser assinada em change.org
Por Lilly Greenblatt | Jesse Earl Rockwell (foto)
in Lion’s Roar | 27 de junho de 2016  ver artigo original
O governo chinês exigiu a retirada de mais de cinco mil monges e monjas do Instituto Budista de Larung Gar e pretende demolir metade das residências do histórico mosteiro.
Segundo o Free Tibet, algumas das casas já foram derrubadas, tendo o governo de Beijing ameaçado demolir todo o mosteiro se as autoridades religiosas de Larung Gar não cumprirem as suas exigências.
A academia é o maior instituto budista tibetano do mundo e está situada em Sêrtar, na Região Autónoma Tibetana de Garzê, na remota província chinesa de Sichuan. O mosteiro conta atualmente com mais de dez mil residentes, sendo que a ordem do governo chinês exige que este número seja reduzido para cinco mil. Foi concedido ao mosteiro o prazo-limite de 30 de setembro de 2017 para reduzir a sua população, uma exigência que se enquadra na política de repressão da liberdade religiosa no Tibete.
A única razão apresentada por Beijing é a de que a comunidade está a necessitar de “liderança ideológica”. Segundo a Human Rights Watch, as limitações impostas são apresentadas como tendo por base preocupações em relação ao aumento populacional do mosteiro e consequentes riscos de incêndio. Outras exigências incluem ainda a instalação de câmeras de vigilância, ações de triagem e a aceitação por parte da direção do mosteiro de uma administração conjunta com as autoridades governamentais.
No ano de 2001, o governo local desalojou milhares de monges e monjas, tendo demolido à força de bulldozers mais de mil residências em Larung Gar. Após grande agitação popular, a comunidade foi deixada em paz e novamente autorizada a crescer.
No início deste mês, o jornal britânico Daily Mail voltou a publicar uma série de fotografias do mosteiro, onde documenta o aspeto impressionante da área densamente povoada de pequenas cabinas residenciais em Larung Gar (ver fotos).
Tradução de Raul C. Gonçalves

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s