Sobre a depressão

A depressão é a principal causa de incapacidade no mundo.

Nos Estados Unidos da América, cerca de 10% dos adultos lutam contra a depressão. Mas, como é uma doença mental,pode ser muito mais difícil de entender do que, digamos, um colesterol elevado. Uma importante fonte de confusão é a diferença entre ter uma depressão e sentir-se deprimido.

Quase toda a gente se sente em baixo, de vez em quando.

Ter uma nota baixa, perder o emprego,ter uma discussão,até um dia chuvoso pode causar um sentimento de tristeza.

Por vezes não há qualquer razão. Aparece sem se saber de onde. Depois, as circunstâncias mudam e esse sentimento de tristeza desaparece. A depressão clínica é diferente,é um distúrbio médico. Não desaparece só porque queremos. Perdura, pelo menos, durante duas semanas consecutivas.Interfere significativamente com a capacidade de trabalhar,de brincar,ou de amar. A depressão pode ter muitos sintomas diferentes:uma disposição baixa, perda de interesse em coisas de que gostamos,alteração do apetite, um sentimento de não prestar, ou de excessiva culpa, dormir demasiado ou muito pouco,dificuldade em se concentrar,inquietação ou lentidão,perda de energia ou pensamentos recorrentes de suicídio.

Se tiverem, pelo menos, cinco destes sintomas,— segundo as linhas de orientação psiquiátricas —são candidatos ao diagnóstico de depressão.Mas não há apenas sintomas de comportamento.

A depressão tem manifestações físicas no interior do cérebro.

Primeiro que tudo, há alterações que podemos vera olho nu ou aos raios-X.Incluem redução do volume dos lobos frontais e do hipocampo.A uma escala mais microscópica,a depressão está associada a algumas coisas:a transmissão anormal ou o esgotamento de determinados neurotransmissores, em especial, a serotonina, a noradrenalina e a dopamina, ritmos circadianos reduzidos,ou alterações específicas na parte REM ou de ondas lentas do ciclo do sono,e anomalias hormonais,como alto nível de cortisol e desregulação das hormonas da tiroide.

Mas os neurocientistas ainda não têm uma imagem completado que é que provoca a depressão.Parece ter a ver com uma interação complexa entre genes e meio ambiente,mas não temos uma ferramenta de diagnóstico que possa prever com rigor onde ou quando ela poderá aparecer.Como os sintomas da depressão são intangíveis, é difícil saber quem pode parecer estar bem mas está em dificuldade.

Segundo o Instituto Nacional de Saúde Mental,uma pessoa que sofre duma doença mentalleva, em média, dez anos para pedir ajuda.Mas há tratamentos muito eficazes: medicamentos e complemento terapêutico, para estimular os químicos cerebrais. Em casos extremos, a terapia de eletrochoques,ou seja, uma convulsão controlada do cérebro do doente,também ajuda muito. Outros tratamentos promissores,como a estimulação magnética transcraniana,estão também a ser investigados. Portanto, se conhecerem alguém que sofra de depressão,encorajem-na, delicadamente, a procurar qualquer destas opções. Podem mesmo oferecer-se para ajudar em tarefas específicas,como procurar terapeutas da área,ou fazer uma lista de perguntas para apresentar a um médico.Para alguém com uma depressão,estes primeiros passos podem ser inultrapassáveis. Se eles se sentem culpados ou envergonhados, expliquem-lhes que essa depressão é uma doença médica,tal como a asma ou os diabetes. Não é uma fraqueza nem uma característica de personalidade. Não podem esperar que consigam ultrapassá-la sozinhos,tal como ninguém pode curar sozinho um braço partido.Se nunca tiveram uma depressão,evitem compará-la com as vezes em que se sentiram em baixo. A comparação com aquilo que sentimos,sentimentos de tristeza temporários e normais,pode fazê-los sentirem-se culpados. Mas falar abertamente sobre a depressão pode ajudar. Por exemplo, a investigação mostra que,se perguntarmos a alguém se tem sentimentos suicidas reduz-se o risco do suicídio. Uma conversa aberta sobre doenças mentais ajuda a eliminar o estigma e torna mais fácil que as pessoas procurem ajuda. Quantos mais doentes procurarem tratamento, mais os cientistas aprenderão sobre a depressão e melhor tratamento elas receberão.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s